.... SABER COMER E SABER BEBER ............................... Bom serviço na restauração

Chá das 5.

 

Portugal desempenhou um papel preponderante na história do chá, e não só por ter sido o primeiro país europeu a estabelecer rotas comerciais com a China e a comercializar a planta, no princípio do século XVI.

  Na verdade, deve-se a uma princesa portuguesa a popularização do famoso “chá das cinco” em Inglaterra. Catarina de Bragança, filha de D. João IV e de D. Luísa de Gusmão, casou com Carlos II de Inglaterra em 1661 e chegaria a Londres um ano depois, provida de um magnânimo dote constituído por 500 mil libras de ouro, o direito de Inglaterra exercer o livre comércio com qualquer colónia portuguesa, a oferta da cidade de Bombaim e … uma caixa de chá.

  Envolta numa áurea de princesa culta e piedosa, Catarina fez-se respeitar na corte londrina onde iria impor – e transformaria no mais britânico de todos os hábitos do país – o ritual de beber chá. Encantadas, as classes elevadas seguiram a moda (devido às suas taxas elevadas, o chá era um luxo que não estava ao alcance de todas as bolsas) e, ainda hoje, o famoso 5 o’clock tea é, a par das figuras da monarquia ou do Big Ben, uma imagem de marca do Reino Unido, sinónimo de requinte, sofisticação, e elegância.

  Se há pessoas fanáticas por uma chávena de chá, são os ingleses. São conhecidos, não só pelo amor ao críquete e à família real como pelo seu grande amor por chá. Desde o seu chá matinal, ao seu chá das cinco, tudo serve como desculpa para uma boa chávena de chá.

  Nos 100 anos seguintes, o consumo de chá era um privilégio exclusivo às classes mais altas da sociedade até que, Sir Thomas Lipton tornou o consumo de chá acessível a todos tornando-se rapidamente a bebida de eleição dos ingleses. O resto, como se costuma dizer, é história! 

  A ideia do chá das cinco começou com a Duquesa de Bedford em 1840. Nessa época, era costume as classes altas de Inglaterra terem apenas duas refeições por dia - o pequeno-almoço e o jantar perto das oito da noite. 

  Assim, para combater a fome a meio da tarde a Duquesa criou uma pequena refeição, com bolos e sanduíches acompanhada de uma deliciosa chávena de chá, convidando alguns amigos para se juntarem a ela, iniciando assim o "Chá das Cinco", tornando-se um hábito viral nas cortes e alta sociedade por todo o mundo. 

  Originário da China, o chá foi introduzido na Europa pelos portugueses no século XVI.  A planta do chá, Camellia Sinensis, era comercializada através de rotas comerciais estabelecidas entre Portugal e a China. Rapidamente se tornou num bem popular, especialmente nas classes mais abastadas. Por volta do séc. XVII o consumo alargou-se e o chá era bebido em cafés a qualquer hora do dia.

   Esta infusão de frutos, folhas, raízes, ervas e da planta do chá, é geralmente preparada com água quente, no entanto, o consumo de chá frio (ice tea) também já se popularizou, principalmente nas estações mais quentes. As variedades são infinitas (branco, preto, verde, jasmim, earl grey, touareg, jafertee, entre outros) e cada uma adquire um sabor definido de acordo com o processamento utilizado, que pode incluir oxidação, fermentação e o contato com outras ervas, especiarias ou frutos. Os maiores produtores de chá são a China e o Japão, no entanto, um dos melhores chás do mundo (preto e verde) é produzido nos Açores, em S. Miguel, na localidade de Gorreana, nas variedades Orange Pekoe, Broken e Moinha.

Os elementos essenciais ao Chá das Cinco são:

  • Sanduíches com vegetais como pepino, agrião, alface e pode juntar salmão fumado, ovos, queijo ou fiambre.

  • Scones com manteiga e geleia - São melhores servidos quentes.

  • Bolos - mas bolos leves e em pedaços pequenos, pois o chá das cinco é uma refeição leve.

  • Uma refeição mais leve, uns frutos secos como amêndoas, nozes, avelãs, etc. 

 

“HIGH TEA”

  O “High Tea” (que significa: chá ao alto) é o equivalente ao chá das 5, para a classe trabalhadora. Enquanto as classes mais altas desfrutavam de uma refeição ligeira a meio da tarde, os trabalhadores de todo o país precisavam de algo um pouco mais substancial, após um árduo dia de trabalho manual. Muitas vezes, era uma refeição tomada em pé ou sentada em bancos altos - daí o termo "High Tea".

 É, também, por isso que o chá da tarde é mais uma refeição principal e a comida servida geralmente é quente e recheada. Tartes, carnes e queijos são clássicos do “High Tea”

 Como a comida quente é ser reconfortante, vai precisar de um chá para acompanhar com semelhante qualidade.

 Então, quer queira juntar-se à Duquesa de Bedford para um chá da tarde, quer prefira um chá para finalizar o dia de trabalho, temos uma grande variedade de deliciosos chás para todas as ocasiões.

 

   Mesmo assim, foi por causa de outra personalidade da realeza que o ritual ganhou fama e notoriedade. Anna Maria Russell, duquesa de Bedford, sempre se sentia faminta entre o almoço e a jantar. Como solução, fazia um pequeno lanche que consistia em uma xícara de chá com leite e açúcar, e algum salgado.

  Com o tempo, aristocratas e burgueses ingleses passaram a imitar o ritual da duquesa em suas casas, aproveitando a ocasião para exibirem as mais caras e belas porcelanas e pratarias. A partir daí, a tradição se espalhou, salões de chá foram criados e toda a Europa foi tomada pelo consumo do chá das cinco.

  Hoje, o horário fixo não é obrigatório, mas o hábito de tomar um lanche no meio da tarde regado a muito chá, pães e doces permanece intacto, com menos ou mais formalidade.


   Há séculos que o chá se serve, com pompa e circunstância, num ritual que promete transformar qualquer tarde num momento de convívio social, com muitos e deliciosos sabores à mistura. Embora os tradicionalismos de outrora possam não ser aplicáveis nos dias que correm, servir um chá das cinco é sempre um convite irrecusável.

O convite

  Da próxima vez que fizer um convite para lanchar, pense duas vezes e reformule esse convite: diga aos amigos que estão convidados para um chá das cinco! Envie um divertido email ou SMS ou pegue no telefone e convoque a família para uma tarde de chá, scones, boa disposição e boa conversa. Coloque um RSVP no convite – para além de dar um toque de elevada importância ao evento, permitir-lhe-á saberá exatamente com quantos convidados conta para o chá das cinco. E, tal como o nome indica, marque para as cinco da tarde!

A decoração

  Perfeito para uma tarde de Primavera, Outono ou Inverno, decida onde vai realizar o chá das cinco: no jardim, no pátio, na varanda, na sala de jantar ou junto à lareira?      Qualquer local é ideal desde que cada convidado tenha espaço suficiente para colocar a sua chávena de chá e o seu prato de sobremesa, quer seja na mesa de jantar ou numa pequena mesa de apoio. Um centro de mesa, composto por flores ou outros frutos da época é bem-vindo, mas convém que seja baixo. Se optar por um chá das cinco temático ou se a época for de celebração (Natal, aniversário…), a decoração pode ser ainda mais criativa. Marcadores de lugar, velas e música ambiente ficam sempre bem.

A mesa

  O chá das cinco é considerado um evento requintado, onde nenhum luxo é descurado, ou seja, ponha a mesa com a melhor toalha, sem esquecer os guardanapos de pano, elegantemente dispostos com anéis apropriados. Se não tem um serviço de chá de porcelana antigo, um serviço contemporâneo irá compor a mesa igualmente bem – o importante é que não falte o bule, a leiteira e o açucareiro; uma chávena, pires e colher de chá para cada convidado, assim como um prato de sobremesa e talheres de sobremesa. Utilize travessas bonitas para dispor todas as iguarias que preparou para o chá das cinco, caso das tradicionais travessas com três alturas. Se não for de prata, certifique-se apenas que o faqueiro utilizado para servir e tomar o chá dos cinco esteja cintilante.

Os chás

  O chá é o rei desta festa e, por isso mesmo, não deve faltar pelo menos dois tipos de chá: um tradicional que à partida todas as pessoas apreciam (camomila, chá preto ou chá verde) e um chá diferente para animar o paladar e desafiar as provas (pode ser um chá de fruta, de baunilha ou de caramelo, por exemplo). Pode preparar o chá previamente e servir cada um no seu respetivo bule ou então ferver a água, colocá-la em bules e deixar que os convidados preparem o seu próprio chá: basta disponibilizar uma variedade de chá em saqueta ou de folhas soltas. Para além do açúcar para adoçar o chá (granulado ou em cubo), coloque também na mesa leite, mel e fatias de limão – para quem aprecia e para quem vai experimentar pela primeira vez!

O menu

  Tradicionalmente, um chá das cinco é acompanhado de várias e deliciosas iguarias – o chamado “finger food”, ou seja, alimentos que podem ser saboreados à mão. Isto significa que o menu de um chá das cinco deve ser preferencialmente composto por alimentos miniatura: canapés, petit-fours, macarons, biscoitos variados, queques, madalenas, scones, míni-sanduíches, incluindo ainda bolos fatiados diversos (de café, limão ou cenoura, por exemplo), sem esquecer a manteiga e uma pequena seleção de compotas.

Ideias inesperadas

  Servir um chá a um grupo de amigos ou familiares tanto pode basear-se no tradicional chá inglês, como numa versão mais contemporânea do mesmo, com a utilização de chá de flor ou o “flowering tea”, onde o chá se transforma literalmente numa flor depois de adicionada a água quente à chávena. Existem muitas outras ideias para servir um chá original e inesperado: porque não um chá japonês ou um chá marroquino? Divirta-se, prove um pouco de tudo e bom chá!

  Os dias têm estado frios, mas não é desculpa para passar o dia em frente ao sofá por isso, convide os amigos para beber um chá.

  Beber chá é tido como um evento social e é o programa ideal para combinar com amigos e reunir os familiares fora das horas típicas de refeição - almoço e jantar. Esta é opção perfeita para se aquecer nos dias mais frios e uma desculpa para fazer bolos, bolachas e scones, os acompanhamentos ideais para uma tarde agradável.

 

 

Contatos

Raul Manuel Valente

raulmvalente@gmail.com

Vila Real Santo António

Portugal

+351963700439

Procurar no site

Contacte-nos

Amigo(a)

    Caso queira ajudar nos custos da manutenção e desenvolvimento do site, pode participar com uma pequena contribuição (1€).

 

Produtos

Raul valente.pt

Desenvolvido por Webnode