.... SABER COMER E SABER BEBER ............................... Bom serviço na restauração


Biotoxina perigosa impede apanha de bivalves no sotavento

06-04-2011 09:49

 

Uma biotoxina prejudicial à saúde foi detectada nas águas do sotavento algarvio, o que motivou a proibição de apanha de bivalves por parte das autoridades marítimas.

A situação foi detectada há duas semanas, pelo que os mariscadores da região estão oficialmente impedidos de apanhar conquilhas apesar do mar estar calmo e de não faltar este apreciado bivalve. A referida toxina é produzida por uma alga e em análises realizadas pelo laboratório do Instituto Nacional de Recursos Biológicos voltaram a detectar, esta segunda-feira, o fitoplâncton produtor da biotoxina que pode causar problemas gástricos. Esta micro-alga tem uma duração de cerca de quinze dias e a toxina provoca problemas gastro-intestinais por dois ou três dias.

Apesar da interdição, muitos são os que insistem na apanha da conquilha o que tem provocado problemas de saúde em várias famílias da zona.

Os conquilheiros de Monte Gordo, cerca de meia centena, com licenças de arrasto de cintura e mais de cem que apanham bivalves clandestinamente, estão impedidos de trabalhar  para sustentar as suas famílas pelo que estão a viver situações dramáticas. Também as embarcações que se dedicam  à apanha de bivalves, cerca de meia centena, estão impedidos de apanhar este tipo de marisco em toda a costa desde Vila Real de Santo António até Vilamoura, incluindo a zona interior da Ria Formosa.

O Instituto de Investigação das Pescas e do Mar (IPIMAR) refere que “todos os anos, por altura da primavera/verão, há algas que produzem no seu interior toxinas começando na costa  e pode ou não entrar na Ria Formosa”. “Atendendo à presença de fitoplânton produtor de biotoxinas DSP, solicita-se preventivamente a interdição da apanha e comercialização de todos os bivalves provenientes de todas as zonas de produção da Ria Formosa”, recomenda o IPIMAR. 

—————

Voltar